banner_quemsomos_crop22.jpg

PUBLICAÇÕES

 

Novo índice para valor de aluguéis

Após a disparada do IGP-M, comumente utilizado para o reajuste anual e aluguéis, e a consequente enxurrada de ações judiciais e negociações extrajudiciais sobre a aplicação ou não do índice, a Fundação Getúlio Vargas, por seu Instituto Brasileiro de Economia, lançou novo indicador mensal para a locação de móveis, o IVAR.


O IVAR (Índice de Variação de Aluguéis Residenciais) será divulgado mensalmente, utilizando informações dos contratos de aluguel intermediados por administradoras de imóveis de alguns estados.


Esse novo indicador objetiva mensurar a evolução dos preços e preencher uma lacuna nas estatísticas nacionais do setor. Como base de cálculo, o índice considera o preço do aluguel efetivamente negociado, e as características do imóvel, em vez de dados de anúncios.


Segundo Paulo Picchetti, coordenador do IPC Brasil do Ibre/FGV: “Esse claramente não é um método ideal porque a gente sabe que o preço pedido não necessariamente é o valor da transação efetiva, o valor é o que está no contrato, após negociações”.


Esse novo índice permite medir, de forma mais eficaz, a variação média dos aluguéis ao longo do tempo, refletindo melhor o cenário de oferta e demanda.


Atualmente, o IGP-M é o índice mais utilizado nos contratos de aluguel, porém em 2021 ele acumulou alta de 17,78% e, em 2020 de 23,14%, o que acarretou a busca por um novo índice.

Segundo a Fundação, em dezembro de 2021, o IVAR subiu 0,66%, uma leve queda com relação ao 0,79% registrado em novembro. O acumulado de 12 meses ficou em -0,61% em dezembro/21.


Para a FGV, as negociações entre locadores e locatários demonstram a queda na renda familiar, afetada inclusive pela crise econômica gerada pela pandemia global de COVID.


A oportunidade de adequação de contratos, evitando litígios futuros, está aberta!